300x250 AD TOP

domingo, 14 de julho de 2019

Tags: , , ,

Festival Icozeiro é finalista nacional pela 3ª vez do Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade do IPHAN

O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) divulgou, em seu site oficial, no dia 08 de julho de 2019, o resultado das etapas estaduais do 32º Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade. 

De 323 trabalhos de atuação no campo do Patrimônio Cultural inscritos em todo país, 99 passaram para a fase final. 

Destes 99, quatro são do Ceará e um deles é o 8º Festival Nacional Icozeiro - Festival da Cultura Icoense, realizado desde 2011 pela Associação Filhos e Amigos de Icó (AMICÓ).

Esta é a terceira vez consecutiva que o projeto gratuito de artes integradas realizado em Icó é selecionado representando o Ceará na etapa nacional.

A decisão estadual foi proferida pela Comissão Estadual de Avaliação do IPHAN no dia 05 de junho de 2019, com a escolha do Festival Icozeiro para seguir na etapa nacional, atingindo a pontuação 96 dos 100 pontos máximos alcançáveis.

Nesta edição do Prêmio, o Festival Icozeiro está inscrito na Categoria 1 - Segmento III (Ações de excelência no campo do Patrimônio Cultural de natureza material referem-se a ações nas áreas de preservação de bens de natureza material realizado por instituições sem fins lucrativos da sociedade civil organizada).

DECISÃO NACIONAL - As 99 ações selecionadas em todo o Brasil irão passar por análise da Comissão Nacional de Avaliação nos dias 26, 27 e 28 de agosto de 2019, na sede do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), em Brasília, para definir quais serão os oito vencedores da maior premiação do Patrimônio Cultural Brasileiro. 

A Premiação é dividida em duas categorias (1 e 2) e, em cada uma delas, quatro segmentos (I, II, III e IV). Desta forma, serão oito ações premiadas, cada uma recebendo uma premiação no alor de R$30 mil. O resultado final deverá ser divulgado até o dia 05 de setembro de 2019.

O Festival Icozeiro disputa com outros sete projetos a premiação maior da Categoria 1 - Segmento III. Concorrem neste segmento: Milonga - repensando critérios de tombamento de terreiros (Associação Beneficente de Proteção e Defesa do Terreiro Tumba Junsara - ABENTUMBA), da Bahia; Recuperação e operação da “locomotiva 11” (Associação Brasileira de Preservação Ferroviária), do Paraná; Identidade Cultural de um povo pré-histórico do Agreste de Pernambuco (Museu de Arqueologia da Universidade Católica de Pernambuco), de Pernambuco; Parque das Ruínas da Fazenda São José do Pinheiro (CREASF - Centro de Referência e de Estudo Afro do Sul Fluminense, Jongo do Pinheiral), do Rio de Janeiro; Restauração da Igreja de Nossa Senhora das Dores (Paróquia Nossa Senhora das Dores), do Rio Grande do Sul; Wikipedia de difusão do Patrimônio Cultural Brasileiro (Wiki Movimento Brasil), de São Paulo; e Atividades regulares do centro de pesquisa e memória do teatro (CPMT) do galpão cine horto (Associação Galpão representada por Marcos Coletta), de Minas Gerais.


PRÊMIO RODRIGO MELO FRANCO DE ANDRADE - O Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade prestigia, em caráter nacional, as ações de preservação do patrimônio cultural brasileiro que, em razão da originalidade, vulto ou caráter exemplar, mereçam registro, divulgação e reconhecimento público. 

O Prêmio leva o nome do fundador do Serviço do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Sphan), atual Iphan, o advogado, jornalista e escritor Rodrigo Melo Franco de Andrade, que foi presidente da institução durante 30 anos.

0 comentários:

Postar um comentário